NOTÍCIAS

Publicado em 13/01/2021

Atuária no Mundo

Angola oficializa sua associação nacional de atuários

Desde o final do ano passado, a Associação Angolana de Actuários (AAAT) foi oficialmente criada. A Instituição já conta com um plano estratégico para entrar em ação agora em 2021. O próprio presidente, Henda Modlane, já garantiu que pretende estabelecer acordos de parceria com organizações similares, seja na África, seja em outros continentes.

Assim como o IBA, a AAAT vai exercer tutela relacionada à certificação dos atuários em Angola. A Associação terá como propósitos representar os profissionais da área, bem como congregar os atuários e propor conteúdos indispensáveis para o acesso à formação de novos especialistas para o mercado angolano.

“Sempre é bom constatar o fortalecimento da atuária mundialmente. Por isso, saudamos a criação da AAAT pelos nossos colegas angolanos e nos colocamos à disposição para parcerias técnicas. A união das diversas organizações atuariais internacionais consolida sempre o crescimento da nossa profissão”, explica a presidente do IBA, Leticia Doherty.

O diretor do IBA Ivan Ivan Sant’ana Ernandes já participa de uma das ações de parceria promovidas pela organização angolana, onde é um dos 

professores do curso de pós-graduação em Actuariado e Gestão de Riscos, junto com Henda Modlane.

 

 

Cenário da Atuária em Angola

Os profissionais de Atuária em Angola são formados no exterior por falta de instituições de ensino especializadas no país. Como alternativa a nação africana tem praticado a contratação de profissionais licenciados em matemática, complementada com formação técnica especializada. 

Por outro lado, por aproximadamente três anos, a Associação de Seguradoras de Angola, em colaboração com o Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade de Lisboa, tem assumido a realização de uma Pós-Graduação em Actuariado, que se constitui na primeira ação de formação específica organizada localmente. 

"O desafio para o futuro consiste em tornar regular a realização de ações, mediante contatos com instituições de ensino que estejam interessadas em apoiar o projeto", explicou o Henda Mondlane.

 

Fonte: com informações da Agência Angola Press